Nota de pesar

Unidade Acadêmica de História e Ciências Sociais manifesta seu pesar pelo falecimento do Prof Noé Freire Sandes

Em 09/09/20 19:25. Atualizada em 09/09/20 19:56.

Unidade Acadêmica de História e Ciências Sociais manifesta seu pesar pelo falecimento do Prof Noé Freire Sandes

 

Noé Sandes

 

Faleceu ontem em Goiânia, oito de setembro de 2020, o Professor Noé Freire Sandes da Faculdade de História da Universidade Federal de Goiás, aos 59 anos de idade. Noé Freire Sandes nasceu em Fortaleza no Ceará, oriundo de família sergipana. Iniciou sua vida acadêmica em Brasília, onde fez graduação e mestrado em História pela Universidade de Brasília. Posteriormente, já radicado em Goiânia, cursou doutorado em História pela Universidade de São Paulo (USP).  No final da década de 80 se ligou como professor ao curso de História da UFG. Onde permaneceu como professor até recentemente, quando se aposentou por motivo de saúde, depois de mais de 30 anos como professor. Ao longo dessa trajetória cumpriu importantes cargos dentro da universidade, sendo coordenador de curso, diretor de unidade, diretor da Faculdade de História e Coordenador do Programa de Pós-Graduação da mesma faculdade.

Pesquisou no seu mestrado a obra de Monteiro Lobato, a questão da saúde no Brasil e a questão da identidade nacional. Posteriormente esse trabalho foi publicado com modificações no livro “Nação, políticas de saúde e identidade (1920-1960)”. No doutorado, cursado junto à USP, Noé Freire Sandes estudou o lugar do “7 de Setembro” no processo de constituição da memória e da identidade Nacional. Essa pesquisa foi publicada no livro “A invenção da Nação”, que já recebeu três edições. Noé Freire Sandes tornou-se referência em questões que tratam da identidade nacional, memória histórica e memória nacional, e ainda da relação entre nação e região no processo de formação histórica do Brasil. Essas mesmas questões levaram-no a empreender importantes estudos biográficos envolvendo personagens como Washington Luiz e o jornalista Costa Rego.

Ao longo de sua carreira ajudou a formar durante sua longa trajetória acadêmica toda uma geração de alunos e professores, tanto na graduação quanto na pós-graduação. Ensinando Teoria da História deu importante contribuição intelectual na formação de historiadores e não historiadores. Suas aulas tornavam o difícil capaz de ser compreendido de forma simples. Assim como sua profundidade dava complexidade ao aparentemente simples. Foi orientador de inúmeros trabalhos de mestrado e doutorado, com sua orientação ágil, prática e profunda e altamente sensível às caraterísticas de seus orientandos. Participou de diversas bancas na UFG e outras universidades. Dando importantes e inesquecíveis contribuições aos trabalhos defendidos.

Noé Freire Sandes teve um papel fundamental para o Curso de História da Universidade Federal de Catalão, foi seu primeiro coordenador, de 1991 até 1994, nomeado pelo Curso de História da UFG de Goiânia, quando Catalão era apenas um campus avançado de ensino, pesquisa e extensão da referida universidade. Foi assim o responsável pela implantação e montagem do Curso de História. Aqui foi coordenador e professor, tendo imensa influência na formação de futuros historiadores e professores. Após ter se desligado da função, ficou a sua contribuição no modo de ser do curso de história. Dada a sua generosidade, acessibilidade e afabilidade no trato com as pessoas de nosso curso, mesmo depois de desligado da função de coordenador, passou a ter um lugar especial em nossos corações e mentes. E é nesse sentido que o Curso de História e o Instituto de História e Ciências Sociais -INHCS da Universidade Federal de Catalão vêm manifestar o profundo pesar pelo falecimento desse professor, que foi colega, mestre e amigo. Vêm também manifestar à sua família, especialmente suas duas filhas e filho, afeto e conforto diante a triste notícia de sua morte.